O solteiro 3.0 muitas vezes (...) aterra sem pára-quedas numa espécie de meia-idade prematura, cheio de energia e alegria, como se tivesse renascido da uma morte lenta. (...) Bem vistos, até, por terem tido a coragem de querer voltar a viver e a celebrar essa vontade em animados festins de grupo.


Não sei até quando irei possuir esta vontade enorme de viver (sem um homem), mas atualmente não me imagino de outra forma, o que faz com que por vezes sinta-me culpada, pois quantas pessoas dariam tudo para encontrar o amor das suas vidas e eu a desejar que o mesmo não apareça.

Estou a aprender a ser feliz como todas as pessoas, mas com uma pequena diferença, sem o amor de um homem, mas com o amor de amigos(as) e familiares e é assim, para lá de maravilhoso. 

(Portanto, faz um favor a ti própria: Toma coragem de voltar a viver minha querida amiga.)