Ainda não se sabe quando, mas um dia vou ser mãe e por sinal, a melhor do mundo.

É do conhecimento de todos o afeto que tenho pelo meu sobrinho e o quanto desempenho um papel importante na sua vida e isso faz com que me leve a pensar em determinados assuntos maternais, como o que partilhei há alguns minutos na página oficial do facebook

Querendo eu ser psicóloga para os que julgam que desisti do meu sonho, apenas foi adiado, existem alguns temas que me interessam particularmente, e, este de "Deixem-nas ser crianças por um bocadinho…" fez-me pensar no tipo de mãe que quero ser e no tipo de filho que vou tentar ter. E eu quero que ele seja criança, que haja e viva como tal nessa linda fase da sua vida.

Quero que ele saiba que existe um mundo fantástico para além dos jogos que irá possuir no tablet e das mensagens que irá trocar através do seu smartphone. Que irá fazer da terra comida e da água do quintal um riacho para lançar o barquinho em folhas que construímos juntos. Que irá cair centenas de vezes ao aprender a andar de bicicleta e que roubará fruta da árvore da vizinha não para comer, mas porque sabe que irá irritar-lhe profundamente e que a mesma irá queixar-se à sua avó materna. Sim, ele irá ser educado pelos avós (espero), pois foi com os meus que eu aprendi a ser a mulher feliz que sou hoje. Quero que saiba que irá besuntar-se com a comida e que poderá pisar milhares de vezes nas poças de água a caminho de casa. Que os únicos brinquedos que terá serão brinquedos (no significado real da palavra). Que vamos chorar e rir juntos. Que vamos ser mãe e filho. Que vamos conversar horas a fio, mesmo quando ainda não souber falar nem escrever. Que vamos dar um beijinho ao inicio e fim do dia e abraços ao longo de todo o dia. 

Isto tudo para dizer que quero que a infância seja vivida como eu a vivi e não como se vive atualmente. Vamos deixar o trabalho no trabalho, o cansaço na cama e vamos dedicar o nosso tempo livre a tornar a nossa criança numa criança, nem que para isso haja castigos como à antiga "Não vais brincar à bola com os teus amigos lá fora" invés "vou retirar-te o tablet".