de·zem·bro, s.m.
Agradeço todos os dias à minha mãe é mentira, mas devia por ter-me concebido a maravilhosa e friorenta oportunidade de nascer a 23 de dezembro (...) e à minha irmã que escolheu Joana como nome próprio, que por sinal, é o nome mais bonito do mundo. Obrigada a ambas pela realização destes dois pequenos grandes pormenores da minha vida. Suspeito que já me conheciam mesmo antes de nascer

Prosseguindo, considero um mês nostálgico no entanto com ações futuras, pois realizo sempre uma retrospectiva/balanço do que se sucedeu durante os 365 dias do ano e defino os objetivos para o ano seguinte.  

Para além disso, é a altura do ano em que a família se reúne à volta de uma mesa de jantar  recheada acompanhada do calor da lareira ao som dos gritos histéricos do meu sobrinho e primos. É fantástico, juro. 

Em suma, votos de um natal feliz junto dos que amam. 

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.